29/10/2011

MEMÓRIA - IGREJA CATEDRAL EM BOTUCATU OBRA DE ARTE A CÉU ABERTO



Uma obra de arte a céu aberto, assim podemos definir a igreja Catedral de Botucatu, um imponente templo católico situado na Avenida Dom Lucio, é fascinante conhecer a historia desta igreja que esta intimamente ligada a o povo Botucatuense, sendo um belo lugar para ser visitados por turistas.


 
Alguns relatos descrevem esta trajetória. Após uma ação judicial em uma disputa por terras na região de Botucatu precisamente na data de 23 de dezembro de 1843 um acordo foi firmado, a troca de padroeira da freguesia que era Nossa Senhora das Dores de Cima para Sant´Ana de Cima da Serra, assim dessa maneira o povoado foi evoluindo, deixando de ser da categoria de Freguesia na data de 1846 e passando para a categoria de Distrito de Paz e, na data de 14 de abril de 1855 se elevou a categoria de Vila, assim sob a proteção de sua padroeira San´Ana o município se desenvolveu, tornando-se Diocese na data de 07 de junho de 1908 e Arquidiocese na dada de 11 de abril de 1959, sendo assim a padroeira eram dedicados três templos na época.


VISTA DA AV. DOM LUCIO EM 1938  (SOBRE A CATEDRAL VELHA)

“1. No pequeno povoado, na confluência das Av. Floriano Peixoto e Petrarca Bachi, atualmente Praça Coronel Moura (Paratodos), nasceu a "cappella", que depois foi transformada em primeira matriz. Ao pé primeira matriz, nasceu a cidade.
2. A nova matriz, nos altos da cidade, atualmente Praça Rubião Júnior, sagrada em 25/12/1892, chamada de "Catedral Velha".
3. A "Nova Catedral" nasceu próxima à velha, na mesma praça, tendo sido inaugurada em 08/12/1943.”



IGREJA CATEDRAL EMCONTRUÇÃO 1938




NOTE-SE A ESQUERDA A CATEDRAL VELHA QUE ESTAVA EM PROCESSO DE DEMOLIÇÃO E A DIREITA A CATEDRAL NOVA SENDO CONTRUÍDA, CERTAMENTE UMA OBRA GRANDIOSA EM BOTUCATU NA ÉPOCA.


NOTE-SE A CATEDRAL QUASE CONSTRUÍDA MAIS AINDA SEM A CÚPULA.
  
A igreja teve sua pedra fundamental para sua construção lançada em 8 de dezembro de 1927 pelo bispo da Diocese da época Dom Carlos Duarte Costa. Após a participação da comunidade em diversas campanhas, no entanto em 20 de março de 1929 e após uma missa solene que aconteceu um dia anterior, que começaram as escavações para a construção do alicerce, em 1937 a cripta já se encontrava pronta e em 6 de setembro de 1937 os restos mortais de Dom Lucio Antunes foram traladados para a nova cripta, em 08 de dezembro de 1943 aconteceu a inauguração do majestoso templo sob o bispado de Dom Frei Luiz de Sant´Ana, no entanto as obras não estavam totalmente concluídas, em 1945 concluem-se as obras restantes, em 1956 constroem-se as escadarias e em 1 de abril do mesmo ano há a Sagração solene dos sinos, , em 27 de novembro de 1965 o templo foi elevado á categoria de  Menor de Sant´Ana pelo Papa Paulo IV e foi a primeira do Brasil dedicada a Sant´Ana.
CONSTRUÇÃO DA CÚPULA DA IGREJA EM 1941
EM 1942 A CATEDRAL SEM A TORRES MAS COM A CÚPULA


A Igreja da Catedral leva a assinatura do engenheiro Cav. J. Sachetti e tem uma semelhança impar com a Catedral da Sé da cidade de São Paulo que leva a assinatura do mesmo engenheiro e sua construção se deu em face ao precário estado da antiga Catedral que foi construída em 1893.

Vista interna da igreja em 1945

 “O baldaquino (que já não existe mais) em madeira foi doado pelo Sr. Rodolfo Pasqualin, na época, diretor do laboratório Paulista de Biologia.”
NESTA FOTO POSA ORGULHOSO O SENHOR JOSE GUIMARÃES, 
CONSTRUTOR DA IGREJA DA CATEDRAL DE BOTUCATU.







RELATOS HISTÓRICOS – 1935 “É feita coleta, rua por rua, Pró-Cathedral (nova). Inicia-se o levantamento das paredes; há vários anos está apenas nos alicerces.
Em janeiro há uma Concentração Mariana em Botucatu, sob orientação do Vigário da Sé, Monsenhor Antonio Antunes Cordoba, que em agosto é removido para Ourinhos, sendo então substituído pelo Padre Affonso Tojal. O Padre Luiz Duprat é transferido para Petrópolis. Assume o Curato da Vila dos Lavradores o Padre Amaro.
O Grupo Mariano, composto de rapazes da Congregação Mariana e moças da Pia União das Filhas de Maria, organiza festivais Pró-Cathedral, indo mesmo a outras cidades, como Lençóis.
Junho é o mês do Sagrado Coração de Jesus, na Catedral. É encerrado com comunhão do Apostolado da Oração, renovação da consagração dessa entidade, e procissão do Sagrado Coração.”
Fonte de Pesquisa – Botucatu Antigamente – Trajano Carlos de Figueiredo Pupo.














As 05 portas em madeira entalhadas, foram doadas pelo industrial Camillo Pedutti.























Todas as telhas da Catedral foram ofertadas pelo engenheiro Dr. Adolfo Dinucci e o trono episcopal foi oferecido pelo clero da diocese de Botucatu e confeccionado na Escola Industrial.













A imagem de Sant'Ana que media 2,20 metros, foi doada pelo ex-prefeito e industrial de Botucatu, Pedro Losi.






RELATOS HISTÓRICOS – 1937 No dia 7 de abril S.S. o Papa, nomeia Bispo de Botucatu D. Frei Luiz Maria de Sant’Anna. Toma posse em 29 de junho, com presença do interventor federal em São Paulo, Ademar de Barros, e dos Bispos de Sorocaba, Cafelândia e Jacarezinho.
Em setembro são iniciados os trabalhos de demolição da catedral velha. Em outubro já está sem a torre.
Fonte de Pesquisa – Botucatu Antigamente – Trajano Carlos de Figueiredo Pupo.








Embora não totalmente acabada, a nova Catedral de Botucatu foi inaugurada no dia 08 de dezembro de 1.943, dezesseis anos após o lançamento da pedra fundamental.
 Naquela manhã do dia 08, às oito horas da manhã, Dom Frei Luiz sagrou a Catedral celebrando em seguida a Santa Missa.



O Dr. Júlio Prestes que foi quem lançou a pedra fundamental em 1.927, também estava presente às solenidades de inauguração.


A solene Sagração da Catedral Metropolitana de Sant'Ana de Botucatu aconteceu no dia 30 de agosto de 1.964.








Na década de 70, Dom Vicente Marchetti Zioni (2º Arcebispo de Botucatu) também deixou sua marca em nossa Catedral. Em São Paulo, Dom Zioni conheceu o pintor Antônio Pain Filho, um congregado mariano. Reencontrando o pintor depois de muito tempo, veio a saber que o mesmo havia produzido várias obras de arte cujo argumento era Nossa Senhora, dando um toque Brasileiro a elas; pintou dessa forma 40 Madonas Brasileiras. Dom Zioni, impressionado com as pinturas, das 40 mandou fazer 12 em uma firma de vitrais chamada Conrado Sordinaite. Tais vitrais hoje podem ser admirados na Catedral de Botucatu. Estão lá: Madona do Sabiá, Virgem do Maracujá, Madona da Roça, Virgem das Samambaias, Virgem da Orquídea, Virgem do Cruzeiro, Madona do Cafezal, e outras mais.



Já na década de 60, aproveitando o "embalo" do Concílio do Vaticano II, Dom Henrique Golland Trindad (1º Arcebispo de Botucatu) fez uma grande reforma na Catedral mudando totalmente seu interior.
Dom Frei Henrique derrubou todos os altares de mármore, retirou quase todas as imagens, inclusive a grande imagem de Sant'Ana do altar central. Essa imagem foi colocada na Praça ao lado da Catedral em um pedestal, mas durou pouco tempo, sendo totalmente destruída por vândalos.
O Baldaquino foi retirado e o altar-mor foi removido para a Capela do Santíssimo.
Sob o novo altar-mor colocou-se a grande imagem de Jesus Crucificado. Fez também um trono para Nossa Senhora Aparecida, onde o filho do arquiteto contratado para a reforma, moldou em barro algumas estrelas que até hoje compõe o painel de fundo do referido altar.
A Cátedra do Trono Episcopal foi retirada e hoje serve o último altar da Igreja do sagrado coração de Jesus.
Após ter concluído toda essa reforma, Dom Frei Henrique convidou o então núncio Apostólico no Brasil, Dom Sebastião Baggio, para sagrar a Catedral.
Entre outras mudanças também removeu o batistério do fundo da Catedral para atrás do altar mor.”

















O vitral onde está reproduzida a imagem de Sant'Ana, que se encontra no arco da porta central da Catedral, foi gentilmente oferecido pelo Sr. Emílio Pedutti.
































Relatos históricos 1941- O Cônego Agostinho Colturato é o Cura da Sé. Fala-se em apressar a demolição da velha Catedral, para o Congresso Eucarístico, em junho, mas o Bispo Dom Frei Maria de Sant’Ana diz que isso não pode ser feito, pois a nova ainda não está nem coberta. Em setembro, depois do Congresso, as paredes atingem o ponto de cobertura, e o arquiteto Adolpho Dinucci oferece as telhas. Inicia-se o telhamento.

RELATOS HISTORICOS 1943 - A velha Catedral, cujo altar-mor é de 1892, é finalmente demolida. Sua torre já fora derrubada em 1939, e aos poucos suas paredes foram ruindo. Esperava-se a inauguração da Catedral nova, e isto ocorre no dia 8 de dezembro, com procissão, hasteamento das bandeiras do Brasil e do Papa, execução do Ecce Sacerdos Mag­nus, pela Schola Cantorum, Missa Festiva de Dobici, a duas vozes, acompanhada de grande orquestra, depois Missa Paroquial, Solene Procissão da Transladação de imagens, da catedral velha para a nova, andores de Sant’Ana, Coração de Jesus, Nossa Senhora do Rosário, Imaculada Conceição, Nossa Senhora Aparecida, São José, São Judas Tadeu, Menino Jesus, Nossa Senhora Menina, Nossa Senhora das Dores e São Sebastião; Exposição do Santíssimo Sacramento, Te Deum em ação de graças, Primeira Benção do Santíssimo. Abaixo, a saudação do dia, pelo “Correio de Botucatu”.



Fica a homenagem deste blog a outro povo que admiro muito, o de Botucatu, assim a pesquisa elaborada tenta de todas as formas mostrar a grandiosidade de um templo religioso, que é muito mais que isso, traz em suas entranhas o bojo da história de luta e persistência de uma comunidade, da qual tenho o orgulho de ter feito parte.

2 comentários:

  1. Meus parabéns pelo post e pela pesquisa que fez. História muito rica e belas imagens da época. Sou botucatuense e não sabia de quase nada da história de nossa catedral. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5/4/12 21:13

    Parabéns por esta relíquia da historia de Botucatu. Adilson Olivatto

    ResponderExcluir

MUITO OBRIGADO - SEJA NOSSO SEGUIDOR - EDUARDO AYRES DELAMONICA