27/06/14

CARTA DE IMIGRANTE DE SÃO MANUEL EM 1914


                                 São Manoel, 24 de agosto de 1914.
                                Queridas mãe irmãs e cunhados

             Em primeiro lugar muito estimo a boa saúde de todos daí ,quanto nós aqui vamos indo bem de saúde graças ao nosso Deus. Mamãe particípio lhe que nós fomos intimados para fazer o inventário e não podemos dar por falta da sua procuração por isso peço  a senhora mandar-nos quanto mais antes que é para nós realizar esse negócio, a procuração a senhora pode mandar para qualquer de nós dois. Mamãe, por é que a senhora tem demorado para ver? A procuração a senhora  mande quanto antes porque só temos prazo de 30 dias para apresentar a procuração. Vem mais queira aceitar muitas saudades de nós todos daqui e queira derramar suas benções nestes seus filhos que a procuração muito os estima pode mandar Manoel Gandim registrada. Quando a senhora mandar pode mandar ao cuidado da Casa Coelho.


São Manoel do Paraizo, 15 de Dezembro de 1914.
                                       Minha querida mãe
            Em primeiro lugar desejo que estas mal traçadas  linhas as vá encontrar de perfeita saúde quanto a minha é boa graças a Deus.Cá recebi a sua prezada carta na qual fiquei ciente de todos os seus dizeres ao qual a senhora mandou-me dizer para entregar a carta ao Maneco eu já entreguei particípio de que na minha casa já houve mais um filho de nome Jose Clemente e com isto não a enfado mais senão com imensas recordações deste seu filho que a estima José Jardim.
PS. Desejo que passe bem as suas festas e felizes entradas do Ano Novo. Maria lhe manda saudades.
                                       


   São Manoel do Paraizo, 22 de março de 1914.
                                                                                        Amigo e cunhado
                                                                                        Antonio Rodrigues dos Reis
           Cá recebi a sua muito estimada carta no dia 17 do corrente mês com a data de 10 de janeiro do qual fiquei ciente em tudo quanto nela dizia.
           Junto a esta lhe remeto os três atestados das crianças quanto aos retratos não tirei porque o retratista mudou-se, a Virginia do Maneco tem um filho sem mais queira 


  saudades do Maneco e família receber saudades dos seus filhos e noras do seu compadre Agostinho e comadre  saudades de Maria e deste seu cunhado que só a vista terão fim.
José Jardim
PS. A nossa pequena morreu no dia 27 de dezembro do ano passado.




FONTE DE PESQUISA MUSEU DO IMIGRANTE